Conheça dois lados de ser idoso em São Paulo

0
306
O governador Geraldo Alckmin durante regulamentação da Lei do assento gratuito para Idosos no transporte intermunicipal rodoviário. DATA: 22/01/2014 LOCAL: São Paulo/SP FOTO: EDSON LOPES JR/A2 FOTOGRAFIA

A cidade de São Paulo tem 1,33 milhão de moradores com mais de 60 anos de idade. São 11,89% dos 11,2 milhões de paulistanos, segundo o IBGE.

Dois bairros, com realidades bem diferentes, se destacam nessa estatística.

Sapopemba, na Zona Leste, é o bairro com o maior número de idosos (28.688). No Alto da Lapa, Zona Oeste, os 9.813 moradores idosos representam 22,76% da população local, o dobro do índice da capital.

Um passeio pelos dois bairros confirma a estatística.

01_bigA Praça 2 de Julho, também conhecida como Praça das Amoras, é o ponto de encontro, de jogos e de bate-papo dos idosos de Sapopemba. Às vezes, o assunto não é muito agradável, mas faz parte da realidade do bairro, cuja longevidade dos moradores remete à ocupação da área em 1910 por imigrantes italianos que se juntaram aos colonizadores portugueses que mantinham hortas na região há mais de 100 anos.

“Há alguns dias uma mulher de 67 anos morreu atropelada logo ali. Aqui os motoristas não respeitam os idosos”, disse Amandio Heleno, de 72 anos.

Na praça onde se encontram há décadas, o principal problema é a falta  de um banheiro público. “A iluminação não é boa e a praça não tem cobertura, mas se tivesse um banheiro já seria muito melhor”, disse Moisés Martins, de 81 anos.

O aposentado Moacir Gomes, de 75 anos, vive no bairro há 54. Apesar dos problemas, ele tem uma teoria  para explicar a população de idosos.

“A amizade é um fator importante. Um sempre ajuda o outro e a convivência faz todo mundo ficar bem. Faltam muita coisas, mas a gente não desiste de lutar”, disse.
O sonho para melhorar o transporte é uma estação de Metrô ou, pelo menos, mais linhas de ônibus. “É muito complicado ir para outros bairros. De manhã os ônibus já passam lotados”, disse Luis Carlos Martins, de 60 anos.

jogosadapatadosterceiraidadeNo outro lado da cidade, no Alto da Lapa, os idosos podem contar com Clube Escola Pelezão, na Rua Belmonte, com aulas de Yoga, ginástica e quadras esportivas. O Alto da Lapa é um bairro planejado, criado também na década de 1920, com o conceito de bairro-jardim. A ideia inovadora na época atraiu muitos imigrantes bem-sucedidos.  “É muito agradável passear pelas ruas e praças”, disse Lourival Gomes da Silva, de 71 anos, que mora no bairro desde que nasceu.

Fonte:http://diariosp.com.br/noticia/detalhe/32501/Conheca+dois+lados+de+ser+idoso+em+Sao+Paulo