Saiba qual o melhor tratamento para ronco e apneia

0
2090

Ronco-Portal-Amigo-do-IdosoO ronco é um distúrbio respiratório que atinge entre 30% e 40% dos adultos, sendo mais frequente nos homens, além de aumentar com a idade. Estima-se que mais de 60% das pessoas, acima dos 55 anos, sofrem com o barulho noturno, que é resultado das vibrações dos tecidos da garganta quando o ar passa em direção aos pulmões.

Mais do que incomodar as pessoas que moram com o roncador, o problema representa um alerta na qualidade do sono, quer dizer que algo não está bem. Ainda mais porque as pessoas que roncam podem ter um problema mais sério – a apneia. Neste caso, a obstrução da passagem de ar é total, por mais de 10 segundos. Especialistas classificam o grau da doença pelo número de interrupções totais por hora: leves (5 a 15), moderadas (15 a 30) e severas (acima de 30).
O grau de obstrução da passagem de ar está frequentemente associado à obesidade, flacidez da musculatura, amígdalas aumentadas, queixo pouco desenvolvido, sedentarismo, álcool, uso de relaxante muscular, dormir de barriga para cima, respiração predominantemente pela boca e envelhecimento.
“Não necessariamente quem ronca tem apneia, mas todos que tem apneia roncam”, explica o professor de ortodontia da USP, João Batista de Paiva. A apneia pode desenvolver problemas de hipertensão e cardíacos.
De olho nos sinais
A pessoa que ronca tem sono durante o dia, acorda frequentemente na madrugada, acorda com dor de cabeça e transpira em excesso durante o sono. “Só com esses sinais está indicada uma consulta no especialista para que o mesmo investigue o grau de comprometimento da qualidade respiratória”, diz Paiva.
Durante o exame clínico, caso haja suspeita de distúrbio respiratório, o dentista encaminhará o paciente para o otorrinolaringologista. Com o diagnóstico confirmado, é feito um exame específico, a polissonografia, que classifica a qualidade do sono.
Apneia-Portal-Amigo-do-Idoso
Noites silenciosas
A boa notícia é que é possível acabar com a sinfonia de roncos que invadem a madrugada. Nos graus mais avançados, é indicado pelo médico o uso de um aparelho intraoral de propulsão mandibular. João Paiva explica que ele é o aprimoramento dos retentores de língua. “Os retentores de língua ainda continuam a ser recomendados em situações específicas, porém, há um consenso que são menos efetivos que os propulsores mandibulares, além de causar desconforto na região anterior da língua”.
Os aparelhos intraorais de propulsão mandibular têm apresentado resultados efetivos nos tratamentos de apneias leves e moderadas. Normalmente o dentista que planeja o tipo de aparelho a ser utilizado é o ortodontista.  “Quem utiliza o aparelho propulsor para tratamento do ronco e apneia o faz por tempo indeterminado, podendo ser por toda a vida e devem fazer acompanhamento profissional”, aconselha.
Já quando a apneia é severa, os aparelhos intraorais não são indicados. Para estes pacientes o uso de máscaras especiais (CPAPs) é o tratamento mais indicado. Elas mantêm pressão positiva e fluxo contínuo de ar nas vias aéreas, o que evita a obstrução.
Para evitar
– Dormir de lado
– Perder peso
– Evitar uso de bebidas alcoólicas
– Evitar calmantes e relaxantes musculares
– Não fazer refeições pesadas antes de dormir
– Não fumar
tratamento