Entendendo os problemas de fala e linguagem no idoso

0
1775

Os problemas relacionados à fala e a linguagem são os mais lembrados pela população em geral ao pensar na atuação da Fonoaudiologia na terceira idade. Ocorrem devido a doenças como o acidente vascular encefálico (derrame), traumatismo crânio-encefálico e as demências como a de Alzheimer, por exemplo.

Estes transtornos podem variar de acordo com a extensão e localização da lesão neurológica e também com o avançar da doença. Alguns idosos podem apresentar problemas leves como articulação e entonação imprecisas até comprometimentos sérios como a troca de uma palavra por outra, deficiência na elaboração e na compreensão de frases ditas ou escritas, repetição sistemática da mesma sentença fora do contexto do diálogo e ausência parcial ou total da fala.

Utilizando um exemplo bastante ilustrativo, podemos considerar que cada um de nós guarda em seu cérebro uma grande biblioteca. Desde bebê até o momento que você lê este texto, esta “biblioteca” está sendo construída dia a dia através de suas experiências de vida. Você armazena todas estas informações e as utiliza quando necessita.

Quando há uma doença como o derrame ou o traumatismo craniano um grande “vendaval” ocorre em sua biblioteca: informações são perdidas, outras vão parar em outro lugar, tudo se desorganiza. Nas demências, as informações embaralham-se aos poucos e acabam se perdendo, tornando a biblioteca praticamente vazia.

Muitos profissionais desencorajavam seus pacientes a realizaram tratamento fonoaudiológico nestes casos. Hoje, sabe-se que através de atividades específicas ativam-se novas conexões cerebrais e tenta-se restabelecer outras que já existiram. De forma figurada, “novos livros” são comprados para a biblioteca do paciente e ao mesmo tempo se organizam as informações que lá estavam antes da doença.

Assim, recomenda-se uma avaliação fonoaudiológica sempre que se percebam alterações na fala e na comunicação do paciente idoso. Somente o fonoaudiólogo será capaz de verificar a necessidade e a viabilidade da terapia para aquele doente.

 

 

juliana-venitesDra. Juliana Venites
Fonoaudióloga 
Especialista em Gerontologia pela UNIFESP e em Motricidade Orofacial pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia
Mestre em Ciências pela UNIFESP-Escola Paulista de Medicina
Doutoranda em Distúrbios da Comunicação pela UNIFESP-Escola Paulista de Medicina
Gerontóloga pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia
Docente da Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Contato:www.julianavenites.com.br

Se você gostou dessa publicação então por favor curte, compartilhe…ajude-nos a divulgar este projeto.