Idosos precisam de atendimento odontológico multidisciplinar

0
273

A grande maioria dos idosos brasileiros não tem dentes e cerca de 7 milhões  necessitam de próteses dentárias, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, de 2010, do Ministério da Saúde. Historicamente, são a parcela da população mais sofre com a falta de cobertura e agilidade dos serviços públicos de odontologia no país. Eles também apresentam o maior número de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes e câncer, que podem ser diretamente afetadas por problemas bucais.

Neste contexto, agravado pelo aumento da expectativa de vida em todo o mundo, os professores brasileiros Drs. Fernando Luiz Brunetti Montenegro e Leonardo Marchini defendem que, por ser repleto de peculiaridades, o atendimento odontológico do idoso precisa ser multidisciplinar para ter eficácia e segurança. Ou seja, em muitos casos o dentista deverá trabalhar junto a geriatras, psicólogos , nutricionistas e demais profissionais da área de saúde.
A visão de Montenegro e Marchini está no lançamento Odontogeriatria – Uma visão gerontológica(Editora Elsevier), que acaba de chegar ao mercado.
Entre os temas abordados estão patologias, farmacologia, psicologia e nutrição, tratamentos odontológicos de pacientes com Alzheimer, Parkinson, câncer, doenças cardiovasculares e com AVCs.
“A integração de diversos especialistas para o tratamento de um paciente é uma realidade, um caminho sem volta. E são os pacientes idosos, especialmente os mais debilitados, que mais precisam de cuidado integral para recuperar a saúde”, afirma o autor Dr Fernando Montenegro, coordenador do Curso de Especialização em Odontogeriatria da Associação Brasileira de Odontologia (ABO) e do NAP Instituto.
Segundo eleo principal problema bucal dos idosos, por exemplo, a falta de saliva, é um efeito colateral do consumo contínuo de remédios receitados por vários médicos do paciente para o controle de doenças crônicas comuns na terceira idade. Neste caso, dentista, nutricionista e geriatra poderiam interagir para a melhoria da saúde bucal, da alimentação e redução do número de medicamentos ingeridos por dia.
“Odontogeriatria: uma visão gerontológica” tem prefácio deDr. Wilson Jacob Filho, diretor do Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP); e o capítulo sobre envelhecimento saudável é escrito pelo presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia,Dr.Omar Jaluul.
SOBRE OS AUTORES:
Fernando Luiz Brunetti Montenegro – Mestre e Doutor pela FOUSP; coordenador do Curso de Especialização em Odontogeriatria da Associação Brasileira de Odontologia e do NAP Instituto; pesquisador-mentor da PUC-SP no Site e Revista Portal; responsável pela Saúde Bucal da Casa de Velhinhos Ondina Lobo e responsável por conteúdo de Odontogeriatria do site www.odontogeriatria.dr.odo.br .
Leonardo Marchini – Mestre pela UNESP e Doutor pelo ICB-USP; professor assistente da Universidade de Taubaté (UNITAU); professor responsável por oclusão da Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP); docente do Programa de Pós-Graduação em Biopatologia Bucal da Faculdade de Odontologia de São José dos Campos da Universidade Estadual de São Paulo (FOSJC-UNESP).
ODONTOGERIATRIA -UMA VISÃO GERONTOLÓGICA – 1ª edição
Editora Elsevier
Livro impresso: R$ 229, páginas: 360, formato: 21x28cm
Ebook: R$ 229  (disponível nas lojas virtuais Kobo, Amazon, Google, iba, Cultura, Gato Sabido, entre outras).
Com conteúdo grátis online Odonto Consult.