Projeto insere idosos no mercado de trabalho em atividades com jovens

0
552
(Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)

A convivência entre crianças, adolescentes e idosos é incentivada por meio de atividades lúdicas e dinâmicas em um projeto social de Santos, no litoral de São Paulo, que, além de tudo, gera emprego para os idosos. O projeto “Vovô Sabe Tudo” dá aos moradores da terceira idade a oportunidade de fazerem parte novamente do mercado de trabalho. Os benefícios são muito mais do que financeiros, já que os trabalhadores se sentem mais vivos, úteis e passam a experiência de vida para que os jovens valorizem os mais velhos.

Entre as funções dos “vovôs”, há jardineiros, contadores de histórias, artesãos, guias de turismo e professores, entre outras atividades. A responsável pelo projeto, Rosana Gomes, afirma que há 45 pessoas participando do projeto atualmente, entre homens e mulheres, mas que a meta é chegar aos 60 funcionários. “Com o ‘Vovô Sabe Tudo’ todos saem ganhando. Os vovôs pela valorização social, familiar e financeira. E os jovens pelo contato diferenciado com o idoso, que contribui para que ele possa perceber que a velhice faz parte do desenvolvimento humano e pode ser bastante produtiva”, diz Rosana.

Oficina de brinquedos aproxima as crianças do 'vovô Brambilla' (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)                                                                                                                                       Oficina de brinquedos aproxima as crianças do ‘vovô Brambilla’ (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)

Como exemplo de que o projeto vem dando certo, está a história do artesão Luiz Brambilla, que era professor universitário. Este “vovô” ensina crianças das escolas municipais a fazerem brinquedos com materiais recicláveis. “Na minha época, a gente construía os próprios brinquedos, não havia tantas opções quanto hoje. No meu tempo de criança também era comum pedir benção aos pais e aos avós. Eu tento passar esses valores para eles”, explica Brambilla.

Para Luiz Brambilla, o projeto social o fez sentir-se mais útil. Ele garante que os benefícios são para todos. “Adoro o projeto. Isso é a minha vida. Quando entra no projeto você muda radicalmente, fica conhecido no bairro como o vovô. Não que eu me ache importante, mas vemos que, apesar da idade, ainda somos gente, uma coisa difícil no Brasil. Estou vivo, eu sou gente. Por outro lado, notei que a criança quer um avô, sente falta do avô, nem todos tem. Mas quando eles dizem que não tem, eu falo que tem eu”, conta.

Outro “Vovô Sabe Tudo” é Jessé Pereira da Silva, de 77 anos. Ele realiza um trabalho que o faz viajar ao passado, literalmente. Jessé foi motorneiro no bonde de Santos entre os anos de 1960 à 1971 e, atualmente, trabalha como contador de histórias, atendendo os turistas que passeiam no bonde do Centro Histórico. Vestido como um motorneiro, Jessé é uma atração à parte. Ele é fotografado diversas vezes com crianças e adultos. “Eu sou o arquivo vivo. Como faço parte da história de Santos eu fui chamado para contar histórias. Para mim é uma felicidade muito grande, porque estou aqui contando histórias, durando mais, porque isso faz a gente viver mais”, diz Jessé.

O vovô Jessé ainda guarda no bolso as lembranças do passado. Tudo para exibir aos turistas que conhece no projeto. “Você nem imagina o prazer que eu tenho de estar aqui. Eu mato a saudade da época que eu dirigia o bonde. Ainda guardo no bolso a carteirinha de quando conduzia o bonde e a fotografia da linha em que trabalhava. O projeto está muito lindo, porque os idosos têm coisas boas para mostrar para a mocidade”, conta.

Vovô Brambilla fala que ganhou milhares de netos com suas aulas  (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)                               Vovô Brambilla fala que ganhou milhares de netos com suas aulas (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)

Fonte: G1

Se você gostou dessa publicação então por favor curte, compartilhe…ajude-nos a divulgar este projeto