Idoso de 96 anos transforma "a maior dor do mundo" em sucesso

0
340

Fred Stobaugh viveu 73 anos com Lorraine. Após a morte da amada, resolveu compor uma canção

Como era de se esperar, o amor de Fred transformou-se em rima

Fred Stobaugh viveu 73 de seus 96 anos de idade com Lorraine. A mulher, contudo, morreu aos 91 anos de idade. E como escreveu o poeta curitibano Paulo Leminski: “Amor, então/ também acaba? Não, que eu saiba./ O que eu sei/ é que se transforma/ numa matéria-prima/ que a vida se encarrega/ de transformar em raiva/ ou em rima”.

Como era de se esperar, o amor de Fred transformou-se em rima. Triste pela morte de sua esposa (segundo Edgar Allan Poe, a maior dor mundo é a morte da mulher amada), o homem resolveu compor uma música para homenagear a falecida esposa. A canção rapidamente se tornou sucesso e entrou na lista das dez mais vendidas na iTunes Store norte-americana.

Fred não é músico. Nunca foi. É apenas um apaixonado. Ao enviar uma carta com a letra de sua música para um concurso do estúdio Green Shoes, disse simplesmente que não sabia cantar e juntou uma carta com a história do seu amor por Lorraine.

“Doce Lorraine, eu gostaria que pudéssemos viver os bons tempos de novo / Doce Lorraine, a vida acontece só uma vez, nunca de novo”, foram alguns dos versos escritos pelo senhor de Illinois, Estados Unidos.

O estúdio decidiu ajudar Fred e criou a melodia e gravou a faixa, que conta a história e mostra a relação de Fred. Escute no vídeo acima “Oh Sweet Lorraine”.