Ansiedade: Vilã do mundo moderno!

0
176

Ter medo e ansiedade diante de situações novas e desconhecidas, dentro de certos limites, é adequado e até mesmo saudável. Trata-se de uma resposta do organismo diante de uma ameaça objetiva a própria existência.

Sabemos o que nos ameaça e reagimos. Medo e ansiedade são, portanto, sentimentos comuns, normais, que servem para nos proteger. Ambos são muito parecidos, mas funcionam de formas diferentes:

Ansiedade X Medo:

A ansiedade é um sentimento de apreensão desagradável, vago, acompanhado de sensações físicas como vazio (ou frio) no estômago (ou na espinha), opressão no peito, palpitações, transpiração, dor de cabeça, ou falta de ar, dentre várias outras.

A ansiedade é um sinal de alerta, que adverte sobre perigos iminentes e capacita o indivíduo a tomar medidas para enfrentar ameaças.

O medo é a resposta a uma ameaça conhecida, definida; ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida, vaga.

A ansiedade prepara o indivíduo para lidar com situações potencialmente danosas, ela prepara o organismo a tomar as medidas necessárias para impedir a concretização desses possíveis prejuízos, ou pelo menos diminuir suas consequências.

Portanto a ansiedade é uma reação natural e necessária para a auto-preservação. Não é um estado normal, mas é uma reação normal, assim como a febre não é um estado normal, mas uma reação normal a uma infecção.

Ansiedade X Ansiedade Generalizada (patológica): 

A ansiedade é um acompanhamento normal do desenvolvimento, da mudança, de experiência de algo novo e nunca tentado, e do encontro da nossa própria identidade e do significado da vida.

A ansiedade patológica, por outro lado caracteriza-se pela excessiva intensidade e prolongada duração proporcionalmente à situação precipitante. Ao invés de contribuir com o enfrentamento do objeto de origem da ansiedade, atrapalha, dificulta ou impossibilita a adaptação.

O transtorno de ansiedade generalizada é basicamente uma preocupação ou ansiedade excessivas, ou com motivos injustificáveis ou desproporcionais ao nível de ansiedade observado. Para que se faça o diagnóstico de ansiedade generalizada é preciso que outros transtornos de ansiedade como o pânico e a fobia social – por exemplo – tenham sido descartadas. É preciso que essa ansiedade excessiva dure por mais de seis meses continuamente e precisa ser diferenciada da ansiedade normal.

Preocupar-se e ficar ansioso não é apenas uma reação normal, mas necessária para a boa adaptação individual à sociedade e ao ambiente. Como o estado de ansiedade perturba a visão que a pessoa tem a respeito de si mesma e a respeito do que acontece no ambiente é necessário que esse diagnóstico seja sempre feito por um especialista.

Síndrome do Pensamento Acelerado: 

  • Acomete cerca de 80 à 90% da população em todas as faixas etárias.

Paciência, tolerância, interiorização, apreciação à Artigos de luxo!

  • SPA : Excesso/vício de pensamentos, informação, trabalho intelectual, preocupação, uso do celular etc!

 Diagnóstico dos transtornos:

Uma das maneiras de diferenciar a ansiedade generalizada da ansiedade normal é através do tempo de duração dos sintomas (a ansiedade normal se restringe a uma determinada situação, e mesmo que uma situação problemática causadora de ansiedade não mude, a pessoa tende a adaptar-se e tolerar melhor a tensão diminuindo o grau de desconforto com o tempo, ainda que a situação permaneça desfavorável).

Assim uma pessoa que permaneça apreensiva, tensa, nervosa por um período superior a seis meses, ainda que tenha um motivo para estar ansiosa, começa a ter critérios para diagnóstico de ansiedade generalizada. Uma vez eliminada a ocorrência de outros transtornos mentais assim como eliminada a possibilidade do estado estar sendo causado por alguma substância ou doença física, podemos admitir o diagnóstico de ansiedade generalizada. Pode até existir uma causa, contudo, tudo se torna motivo para a ansiedade;

Respeitadas essas condições os sintomas que precisam estar presentes são:

1. Dificuldade para relaxar ou a sensação de que está a ponto de estourar, está no limite do nervosismo
2. Cansa-se com facilidade
3. Dificuldade de concentração e frequentes esquecimentos
4. Irritabilidade
5. Tensão muscular
6. Dificuldade para adormecer ou sono insatisfatório

Por fim, um critério presente em todos transtornos mentais é o prejuízo no funcionamento pessoal ou marcante sofrimento. Não podemos considerar os sintomas como suficientes para dar o diagnóstico caso o paciente não tenha seu desempenho pessoal, social e familiar afetados. 

Sintomas Psicológicos:

  • Dificuldade para relaxar. Cansa-se com facilidade;
  • Dificuldade de concentração e frequentes esquecimentos;
  • Irritabilidade / instabilidade do humor;
  • Insônia ou sono insatisfatório/sono agitado, tenso;
  • Assustar-se com facilidade e de forma mais intensa;
  • Sintomas depressivos (secundários);

Sintomas Físicos:

  • Respiração alterada/acelerada;
  • Frequência cardíaca alterada;
  • Ganho/perda de peso/Transtornos alimentares;
  • Tensão muscular/dores;
  • Boca seca;
  • Mãos ou pés úmidos;
  • Sudorese excessiva;
  • Náuseas e outros problemas com o aparelho digestivo;
  • Dificuldade de engolir ou sensação de um bolo na garganta.

Grupo de Risco: 

As mulheres sofrem praticamente duas vezes mais de ansiedade que os homens. De acordo com a matéria de novembro de 2014 da Folha de São Paulo, “a ansiedade afeta 20% das mulheres e 8% dos homens, segundo o psicólogo britânico Daniel Freeman, professor de psicologia clínica e membro sênior do Conselho de Pesquisa Médica da Universidade de Oxford”. 

Tratamento: 

As medicações como os tranquilizantes são eficazes assim como os antidepressivos, alguns antidepressivos com mais eficácia do que outros. Além das medicações, terapias também proporcionam bons resultados sendo muitas vezes recomendada a combinação de ambas as técnicas.

A medicação irá auxiliar seu organismo a recompor o que for necessário e ajudá-lo a aumentar sensações como o bem-estar e a plenitude, contudo, o problema interno, o que te leva a sentir-se ansioso(a), reduzindo sua qualidade de vida, só poderá ser trabalhado e aliviado em sessões de psicoterapia com psicólogos.

Esperamos que este artigo tenha lhe ajudado de alguma forma ou trazido algum conhecimento importante. Volte sempre ao Portal, pois estamos constantemente colaborando com seus conteúdos relativos à saúde emocional. Muito obrigada e forte abraço!

Natália Ceará & Flávia Merschmann – Psicólogas da Bem Viver + | www.bemvivermais.com

Natália Ceará é colaboradora do Portal Amigo do Idoso. Ela é Psicóloga, Professional & Life Coach & Palestrante com ampla atuação. Já realizou atendimento à famílias, crianças, adolescentes e grupos. Sua missão é potencializar a autoestima e a qualidade de vida do maior nº de pessoas possível, através da conquista de seus objetivos em todas as etapas da vida.

  • Matéria Folha de São Paulo: http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/2014/11/1549223-ansiedade-afeta-mais-mulheres-do-que-homens-diz-psicologo.shtml
  • Livro: “Ansiedade: Como enfrentar o mal do século?” Autor: Augusto Cury.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here