Transtornos Alimentares: como entendê-los?

0
120

Segundo matéria da revista Superinteressante de janeiro de 2007: “(…) Hábitos alimentares são considerados doentios quando interferem na saúde física e mental, deteriorando até as relações pessoais e profissionais da pessoa.”

O que causa um transtorno alimentar?

Os transtornos mais comuns e reconhecidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde) são a Anorexia e a Bulimia.

Diversos fatores (emocionais, psicológicos, mentais, sociais, culturais, ambientais e físicos) podem causar ou piorar os sintomas desses transtornos, porém não há uma ou mais causas isoladas responsáveis por gerar os transtornos, e eles podem ocorrer em qualquer faixa etária, afetando drasticamente a qualidade de vida.

A baixa autoestima, causada pela absurda distorção na autoimagem de pessoas que desenvolvem anorexia ou bulimia, por exemplo, é o fator principal que as faz adoecer , pois estão todo o tempo adotando maneiras para “encaixar-se em um determinado padrão” ou simplesmente não conseguem se aceitar, ver beleza e benefício em ser como é e ter a aparência atual.

O grande problema é que, ao invés de adotarem maneiras recomendadas mundialmente, consideradas saudáveis, para ter peso e saúde adequados, como por exemplo reeducação alimentar, exercícios físicos e terapias, tomam medidas doentias, exageradas, desproporcionais e que acabam prejudicando drasticamente sua saúde e bem-estar.

Anorexia e Bulimia (também da matéria da Superinteressante):

“Apesar de terem em comum a preocupação com o corpo, existem diferenças fundamentais entre os dois distúrbios. “Meninas com anorexia têm uma grave distorção de sua auto-imagem, enxergando-se sempre muito mais gordas do que são”, diz o psiquiatra Fábio Salzano, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Na busca por emagrecer cada dia mais, elas simplesmente param de comer e viram esqueletos humanos. Para ser considerada anoréxica, é preciso ter um peso muito abaixo do estabelecido como saudável.

Já a distorção de imagem de uma bulímica é bem mais sutil. Elas não querem engordar, mas adoram comer. Têm ataques compulsivos seguidos de muita culpa, que procuram aliviar provocando vômito ou tomando laxantes e diuréticos. “As meninas bulímicas têm, necessariamente, peso normal ou acima do normal”, diz Alexandre Azevedo, do HC paulistano.”

Fatores de Risco:

  • A bulimia e a anorexia afetam muito mais mulheres do que homens e é mais comum em mulheres adolescentes e em jovens adultas;
  • Grandes mudanças na vida e na rotina podem acarretar no desenvolvimento de distúrbios alimentares, entre eles a anorexia. Exemplos: mudança de escola, casa ou trabalho, morte de um ente querido e términos de relacionamento, entre outros;
  • Pessoas ligadas ao esporte e ao mundo artístico, como atores, atrizes e modelos, são mais propensas a desenvolver anorexia também, pois trabalham com a própria imagem e podem acabar sofrendo pressão externa e deles próprios com relação ao físico;
  • O que a mídia veicula e a cultura muitas vezes prega acaba por influenciar muito nas escolhas e no julgamento das pessoas quanto ao que se considera “saudável” e “bonito”.

Sintomas de Anorexia

  • Sentir medo enorme de engordar ou ficar acima do peso ideal, mesmo quando a pessoa está abaixo do peso normal;
  • Recusar-se a manter o peso que é considerado normal ou aceitável para sua idade e altura (geralmente, pessoas com anorexia estão no mínimo 15% abaixo do peso normal);
  • Ter uma imagem corporal muito distorcida, ser muito focada no peso ou na forma corporal e se recusar a admitir a gravidade da perda de peso;
  • Não menstruar por três ou mais ciclos;
  • As pessoas com anorexia podem limitar gravemente a quantidade de comida que ingerem e depois provocar vômitos. Outros comportamentos incluem:
  1. Cortar a comida em pequenos pedaços ou movê-los no prato em vez de comê-los
  2. Exercitar-se em excesso, mais do que deveria ou do que aguenta
  3. Recusar-se a comer perto de outras pessoas
  4. Usar comprimidos para urinar (diuréticos), evacuar (enemas e laxantes) ou reduzir o apetite (comprimidos para perda ou controle de peso).

Outros sintomas de anorexia podem incluir:

  • Pele manchada ou amarelada, seca e coberta por pelos finos
  • Pensamento e memória confusos ou lentos
  • Boca seca
  • Perda de resistência óssea

Sintomas de Bulimia

  • Preocupação excessiva com o peso e com a silhueta
  • Ter medo de ganhar peso
  • Perder o controle sobre o que come
  • Comer em excesso até sentir desconforto ou dor
  • Ir ao banheiro imediatamente após as refeições para forçar o vômito
  • Fazer uso de diuréticos e laxantes, principalmente após refeições
  • Usar suplementos diários de perda de peso.

Diagnóstico:

É imprescindível buscar ajuda de um psicólogo ou médico quando você conhece uma pessoa que:

  • Está muito preocupada com o peso?
  • Exercitando-se em excesso?
  • Limitando-se muito na ingestão de alimentos?
  • Está abaixo ou muito abaixo do peso ideal?

Se a resposta foi SIM em todas essas questões, está na hora de buscar ajuda! Eis o que deve ser feito quando se nota que alguém pode estarenfrentando um transtorno alimentar como esses:

Avaliação física:

O médico, primeiramente, realizará um exame físico, em que avaliará a altura e o peso, o índice de massa corporal e checará os sinais vitais, assim como procurará por sinais de desnutrição na pele e nas unhas. Em seguida, ele poderá pedir alguns exames para verificar o funcionamento do fígado, dos rins e da tireoide, além de exames para acompanhamento psicológico do paciente.

Outras causas de perda de peso ou atrofia muscular devem ser descartadas com exames médicos. Exemplos de outras condições que possam causar esses sintomas incluem: Doença de Addison, Doença celíaca e Doença inflamatória intestinal.

Tratamento:

O time de especialistas que cuida de uma pessoa com anorexia inclui nutricionistas, psicólogos, psiquiatras entre outros. Pelo menos na primeira consulta, é importante estar acompanhado de algum parente, amigo ou pessoa de confiança. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas e pedir a devida orientação para o profissional buscado. Descreva seus sintomas e, principalmente, a forma como você enxerga seu peso e sua imagem refletida no espelho.

Os tratamentos variam de acordo com o transtorno, mas poderão incluir medicações, psicoterapia e reeducação alimentar.

A psicoterapia e o acompanhamento médico são as medidas mais recomendadas e funcionais para esses transtornos.

Em geral, o tratamento para a anorexia é bastante difícil e exige trabalho árduo dos pacientes e suas famílias. É preciso muita paciência e persistência, pois os pacientes podem desistir dos programas se tiverem esperanças não realistas de serem “curados” somente com terapia.

Diferentes tipos de psicoterapias são usadas para tratar de pessoas com anorexia, mas tanto a terapia comportamental cognitiva individual, a terapia de grupo e a terapia familiar são bem-sucedidas neste sentido.

O objetivo da terapia é mudar os pensamentos ou o comportamento de um paciente para encorajá-lo a comer de maneira mais saudável. Esse tipo de terapia é mais útil para o tratamento de pacientes mais jovens, que não tiveram anorexia por muito tempo. Se o paciente for jovem, a terapia pode envolver toda a família.

Grupos de apoio também podem fazer parte do tratamento da anorexia. Neles, pacientes e familiares se encontram e compartilham suas experiências pelo que passam.

Medicamentos, como antidepressivos, antipsicóticos e estabilizadores de humor podem ajudar alguns pacientes, desde que usados sob a devida orientação médica.

O maior desafio no tratamento da anorexia é fazer com que a pessoa reconheça que tem uma doença. A maioria das pessoas com anorexia nega que tem um distúrbio alimentar. Em geral, as pessoas somente começam um tratamento quando a doença já atingiu seu estado grave.

Geralmente, uma pessoa com anorexia precisa de vários tipos de tratamento. Os objetivos do tratamento para a anorexia são recuperar o peso corporal e os hábitos alimentares normais. Um ganho de peso de 0,5 a 1,4 kg por semana é considerado um objetivo seguro pelos médicos.

Vários tratamentos foram desenvolvidos para amenizar os sintomas e gerar a recuperação necessária. Alguns exemplos são aumento das atividades sociais e redução da atividade física.

Vários pacientes começam com uma permanência curta no hospital para acompanhamento com um programa de tratamento diário.

A permanência prolongada no hospital, no entanto, pode ser necessária se:

  • A pessoa tiver perdido muito peso (estar abaixo de 70% do peso corporal ideal para sua idade e altura). Em caso de subnutrição grave que coloca a vida em risco, a pessoa pode precisar ser alimentada por sonda venal ou por um tubo de alimentação no estômago;
  • A perda de peso continuar, mesmo com o tratamento
  • Surgirem complicações médicas, como problemas cardíacos, confusão ou desenvolvimento de níveis baixos de potássio
  • A pessoa tiver depressão grave ou pensar em cometer suicídio

Convivendo/ Prognóstico:

Algumas atitudes podem facilitar o tratamento. Seguem algumas dicas:

  • Atentar-se ao plano de tratamento e seguir à risca as orientações dos profissionais envolvidos pode ser desafiador, mas é a condição para que, no menor espaço de tempo possível, o paciente consiga ter sucesso no tratamento;
  • Se necessário, converse com uma nutricionista ou endocrinologista sobre o uso de suplementos vitamínicos. Eles podem ajudar no ganho de peso;
  • Procurar não se isolar e participar de atividades sociais tanto quanto possível.

A anorexia nervosa é uma doença grave que pode ser fatal. Em algumas estimativas, ela leva à morte em 10% dos casos. Programas de tratamento experimentados podem ajudar as pessoas com a doença a voltar para o peso normal, mas é comum a doença retornar.

Mulheres que desenvolvem a anorexia em idade precoce têm melhor chance de recuperação completa. No entanto, a maioria das pessoas com anorexia continuará preferindo um peso corporal mais baixo e estará muito focada em alimentos e calorias.

Não tenha receio ou vergonha de perguntar ou buscar ajuda para se cuidar e garantir sua qualidade de vida e bem-estar! Esperamos termos lhe informado e lhe ajudado de alguma maneira com esse artigo.

Natália & Flávia – Bem Viver + | www.bemvivermais.com

Natália Ceará é colaboradora do Portal Amigo do Idoso. Ela é Psicóloga, Professional & Life Coach & Palestrante com ampla atuação. Já realizou atendimento à famílias, crianças, adolescentes e grupos. Sua missão é potencializar a autoestima e a qualidade de vida do maior nº de pessoas possível, através da conquista de seus objetivos em todas as etapas da vida.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here