Auto ou Alta Estima? O melhor é estar com a autoestima em alta!

0
639

Pessoas costumam dizer que estimam muito alguém ou algo. Mas e quando se trata delas mesmas?

*Por Natália Ceará

Aí então surge a confusão: o que quer dizer a auto estima? Auto, alta, enfim…Qual a forma correta de falar?

Bom, vamos lá! Em primeiro lugar existe a palavra “auto” que designa algo para nós mesmos, como em autoconhecimento (conhecer a si mesmo) ou autoconfiança (confiança em si mesmo) etc. E agora sim temos a expressão correta: autoestima.

Então quer dizer que esse termo representa o quanto eu me estimo? Exatamente. E esse nível de estima por si mesmo pode ser alto, baixo, médio e por aí vai. Por isso certa confusão com os termos.

O esse termo é amplo, englobando tudo o que há de mais importante em nossas vidas, pois, será a partir do nível de autoestima que temos, que iremos nos amar mais ou menos, nos respeitar, nos preservar, nos cuidar, nos responsabilizar, ou seja, viver!

E dentro desse conceito há diversos outros que são fundamentais, como nossa autoimagem (a imagem que temos de nós mesmos, tanto física quanto comportamentalmente), a nossa autoconfiança e autoconhecimento (citados acima) e assim segue.

O grande problema vem quando há dificuldade em manter sua autoestima lá em cima, melhorando seu nível de amor próprio, de paz interior, de satisfação com a vida e com quem você é, ou seja, o papel que você ocupa no mundo. Viram só como a autoestima é a coisa mais importante de todas?

Se não tivermos noção ou se nossa visão sobre nós mesmos e sobre nosso valor estiver distorcida, tudo virá de encontro com essa nossa maneira de nos enxergarmos e de nos portarmos diante do espelho e da vida.

Contudo, apesar de sabermos o quanto isso é comum, o quanto pessoas, todos dias, se desvalorizam, se odeiam, não se conhecem, não reconhecem o potencial e o valor que têm, há saída! Há luz no fim do túnel!

É preciso, antes de mais nada, saber que encontraremos, sempre, todas as respostas para nossas aflições, dentro da gente e não fora. Que não adiantará nada seguirmos padrões e regras de outros, sendo que já temos tudo pronto em nosso coração. Ou seja, comparar-se a qualquer pessoa será fatal, além de injusto e incoerente, tanto consigo quanto com a pessoa ao qual você se comparará, seja no que for.

Cada qual com sua vida, sua criação, seu código genético, sua história, sua forma de compreensão das coisas, suas relações, sua maneira de enxergar e aprender o mundo, sua maneira de reagir e tomar atitudes. Ninguém nem nada é igual à você. Todo ser é único e incrível. E todos nós temos oportunidades, todos os dias, de entender isso e fazer com que o nosso jeito especial possa nos levar ao autoamor, respeitando e valorizando o que sabemos e o que vivemos. E para isso acontecer e escolha é só nossa. Não se pode depender de absolutamente mais ninguém para poder se amar e se respeitar.

Você pode escolher olhar para as suas faltas, suas falhas, seus erros…Ou, pode optar por entender que o seu potencial é só seu, que sua capacidade é diferente da dos outros e usar isso da melhor maneira para tomar suas decisões e para olhar o outro e relacionar-se com ele. Isso se chama Inteligência Emocional.

Pode olhar para o que falta em você com humildade e sabedoria e entender que pode muito mais do que imagina, e entender que tudo o que já conquistou e já ganhou, serve para repassar aos demais, dar exemplo e seguir se aperfeiçoando. Afinal, se utilizarmos o que temos de bom apenas para mostrar ao mundo sem dar significado algum na vida das pessoas com isso, você só estará sendo vaidoso(a). O que pode mostrar que, na verdade, você só precisa de mais atenção, está sentindo-se carente, inseguro ou com medo.

Portanto, ao se olhar, se analisar, faça-o com cautela e carinho, utilizando tudo o que há de melhor em você para ajudar ao próximo, afinal é isso que vai mudar o mundo e formar o seu legado. E quanto as culpas que carrega, possíveis arrependimentos ou mágoas, busque ser sincero consigo mesmo, entendendo no que realmente teve culpa e o que foi, na realidade, apenas um momento de baixa autoestima, que ficou mal resolvido e que agora pede o autoperdão!

Não se engane! Há realmente uma série de armadilhas externas e internas que visam baixar seu nível de autoestima, então, não permita! Não conceda o direito à ninguém (nem a si mesmo) de atacar negativamente o que há de mais belo e precioso em você.

Cuide-se cuidando do outro. Repeite tudo e todos como gostaria de ser respeitado e tratado, mesmo quando for necessário tratar de alguma questão mais delicada ou difícil. Pense sempre o quanto você gostaria de enxergar as coisas tal como são, e por isso, seu dever é também de mostrar e ajudar o mundo a se entender e agir dentro de suas necessidades e no presente.

Ame-se agora, pois amanhã poderá ser muito tarde. Seja você mesmo, pois ou outros já existem. A autenticidade é o preço que se paga para ser você mesmo, então invista nisso!

Comprometa-se primeiro consigo mesmo, para depois tentar salvar o mundo. Não se exija demais. Para quê se cobrar por algo que você já sabe que não vai dar conta? Quebre suas metas de super-homem e de mulher maravilha em metas humanamente capazes de serem atingidas. Valorize e comemore cada minúsculo passo dado para frente. Saiba que, mesmo recaindo no erro, você sempre pode recomeçar, ao invés de se manter no buraco.

Saiba o que realmente faz bem para você e o que, no fundo, foi só algo passageiro ou que te tornou dependente e te deixou na zona de conforto. Não se preocupe em enfrentar uma reforma íntima se assim for necessário, pois “as noites escuras, produzem as estrelas mais brilhantes”. E, como já se sabe, “mar tranquilo nunca fez bom marinheiro”.

A mudança nunca é apenas mental ou emocional, ela é física também! Seu cérebro mudará, sua rede neuronal irá mudar junto com suas transformações. Isso é evolução! Mudar e crescer dói mesmo…contudo, nos traz o que há mais fantástico: o novo e a vitória!

Doe para as pessoas o seu melhor, mesmo que em sua concepção elas não mereçam, pois você sempre sairá ganhando e elas carregarão consigo uma boa memória. E, mais uma vez, não permita que ninguém lhe tire o sorriso ou a paz, se você não teve responsabilidade alguma no infortúnio desse alguém.

Obviamente também não se pode culpar outrem por infortúnios que você esteja enfrentando por contra própria. Enfrente e siga em frente.

Para encerrar o nosso artigo, deixo-lhes um trecho magnífico de Mário Quintana:

“As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui para satisfazer as delas. Temos que nos bastar, nos bastar sempre, e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam, não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.”

Gostou? Compartilhe esse texto! E volte sempre, pois toda semana tem conteúdo novo! Um grande abraço!

Natália & Flávia – Bem Viver + | www.bemvivermais.com

*Natália Ceará é colaboradora do Portal Amigo do Idoso. Psicóloga, Professional & Life Coach & Palestrante com ampla atuação. Já realizou atendimento à famílias, crianças, adolescentes e grupos. Sua missão é potencializar a autoestima e a qualidade de vida do maior nº de pessoas possível, através da conquista de seus objetivos em todas as etapas da vida.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here