Nutricionista explica a importância dos cuidados alimentares na terceira idade 

1
477

Especialista dá dicas de como seguir uma dieta balanceada, prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida nesta fase

Os bons hábitos alimentares devem ser seguidos em todos os momentos da vida, afinal, o consumo de alimentos saudáveis ajuda a prevenir o aparecimento de doenças como diabetes, hipertensão, colesterol alto, sobrepeso, além de ajudar a longevidade. Mas é na terceira idade que estes cuidados devem ser redobrados, pois com o processo de envelhecimento, o idoso sofre uma série de mudanças no metabolismo energético, na função hormonal e na atividade diária, o que afeta a necessidade de nutrientes.

De acordo com Thalita Meningroni, nutricionista da rede de residenciais sênior Terça da Serra, referência em cuidados de alto padrão para idosos, é importante ter uma dieta com aporte adequado nesta fase. Isto significa que a alimentação deve ser equilibrada com proteínas, vitaminas e sais minerais, além de conter baixo teor de gordura, ser rica em fibras, moderada em sal e açúcar e conter líquidos.

“O alimento deve ser de fácil ingestão, ter um aspecto agradável e também respeitar os hábitos adquiridos ao longo da vida”, explica.

“Alguns alimentos como frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm vitaminas, fibras e outros compostos que auxiliam na defesa natural do corpo e devem ser ingeridas com frequência durante toda a vida”, aponta a nutricionista.

Segundo ela, seguir uma dieta balanceada pode prevenir as doenças crônicas já citadas, como diabetes e hipertensão, que são as principais causas de mortalidade atualmente, e vários tipos de câncer que estão ligados à uma alimentação ruim. Existe um impacto direto da alimentação na qualidade de vida pois promove mais energia, bom funcionamento intestinal, peso adequado e melhora a imunidade.

É na terceira idade também em que o olfato e o paladar da pessoa ficam progressivamente comprometidos, o que dificulta ainda mais o bom apetite e os processos de mastigação e deglutição. Além disso, segundo a especialista, a presença de doenças crônicas pode levar à restrição dietética, que associada ao uso de medicamentos, afeta a absorção de vitaminas e minerais; com isso, o idoso apresenta perda de peso, deficiências nutricionais, inapetência ou até desnutrição e desidratação.

“Para melhorar a aceitação da comida quando a pessoa não tem mais olfato e paladar apurados, é importante que a comida seja visualmente interessante, que tenha textura e temperatura que façam o idoso querer se alimentar melhor. Para a menor produção de saliva primeiramente deve-se aumentar a ingestão de água, depois avaliar se há alguma medicação promovendo essa alteração. Existem produtos de higiene oral, balas e outros itens que podem ser usados para melhorar a sensação de boca seca”, explica a nutricionista.

A profissional ressalta que a partir dos 60 anos a suplementação alimentar também é uma saída para aqueles que tem alguma necessidade aumentada ou absorção diminuída, mas ela deve ser recomendada por um médico ou nutricionista.

Além da preocupação com os ingredientes, a profissional reforça os cuidados com o planejamento deste momento. Segundo ela, o ambiente em que o idoso realiza as suas refeições deve ser agradável, iluminado, arejado, limpo, com facilidade para higiene das mãos e móveis com cantos arredondados para conferir maior segurança e conforto ao idoso. Os utensílios também devem ser bem higienizados e compatíveis com o grau de dificuldade.

Outro ponto importante é a ausência de distrações como TV e rádio no ambiente em que a pessoa irá realizar a sua refeição.

“Essas especificidades apresentam um grande efeito no desfrute da refeição e na manutenção de bom estado nutricional, com menor risco de engasgos. Respeitar os horários também é essencial para organizar a rotina da pessoa em relação a compromissos, medicação de uso diário, tarefas de casa, entre outros”,

finaliza Thalita.

Dicas:

Pensando nos cuidados necessários que são indispensáveis durante a terceira idade, a nutricionista Thalita Meningroni listou cinco dicas para uma alimentação de qualidade:

1º -​ Faça três refeições ao dia (café da manhã, almoço e jantar) e mais dois lanches saudáveis entre as refeições;

  -​ Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural, pois por não terem passado pelo processo de refinamento, os alimentos integrais não sofreram alteração em sua estrutura, nem a retirada de vitaminas, minerais e também em fibras;

  -​ Inclua frutas, legumes e verduras em todas as refeições ao longo do dia, pois esses alimentos são ricos em vitaminas, minerais e fibras. Por tal razão, eles devem estar presentes diariamente na sua alimentação. O consumo desses alimentos contribui para diminuir o risco de várias doenças e ajuda a evitar a constipação;

-​ Coma feijão com arroz, de preferência no almoço ou no jantar. Esse prato brasileiro é uma combinação completa e nutritiva e é a base de uma alimentação saudável;

5º  -​ Lembre-se de incluir carnes, aves, peixes, ovos, leite e derivados em pelo menos uma refeição durante o dia. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis.

Os leites e derivados são ricos em cálcio, que ajuda no fortalecimento dos ossos. Já as carnes, as aves, os peixes e os ovos são ricos em proteínas e minerais. Quanto mais variada e colorida for a sua alimentação, mais equilibrada e saborosa ela será.

Além dessas 5 dicas, é de suma importância a ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia (exceto em casos de alguma patologia específica).

Este conteúdo de divulgação comercial é fornecido pela empresa Terça da Serra e não é de responsabilidade do Portal Amigo do Idoso

Sobre a Terça da Serra

A Terça da Serra nasceu em 2015 em função da carência, notada pela médica Joyce Duarte Caseiro, de Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) que prestassem serviços de qualidade na região de Campinas. Com a missão de oferecer hospedagem e cuidados de alto padrão para idosos, de forma humanizada, respeitando a individualidade dos hóspedes e dessa maneira melhorar a qualidade de vida, o residencial sênior é referência na relação e cuidado com os hóspedes. Atualmente, o residencial conta com dez unidades em operação.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here