Idosos: 5 dicas para manter a saúde durante o inverno

0
401
Com a chegada do inverno, aumenta a incidência de doenças que afetam a terceira idade. Reunimos aqui cinco cuidados básicos para se proteger e minimizar esses riscos:
1. Lavar e desinfetar as roupas de inverno antes de usar
Variação de temperatura altera as vias aéreas estimulando a secreção de muco, além disso, as roupas de inverno, guardadas em armário durante o ano todo, contém ácaros e fungos que podem desencadear crises de alergia e rinite, tosse e espirros, aumentando ainda mais as secreções e a disseminação dos germes. A higienização das roupas e cobertas deve ser feita, preferencialmente, com produtos saneantes de boa qualidade e água quente.
2. Aquecer e manter o isolamento térmico adequado dos ambientes
Uma das características do envelhecimento é a diminuição da capacidade de modular a temperatura corporal. Isso é muito importante durante o inverno, pois a queda da temperatura fragiliza e propicia condições que podem agravar a saúde. O idoso tende a vestir várias peças de roupas sobrepostas para se proteger do frio, o problema é que isso reduz a mobilidade, aumentando o risco de quedas e fraturas e dificultando a higiene pessoal, especialmente das partes íntimas. O aquecimento adequado dos ambientes mantém a temperatura corporal estável, dispensando o uso excessivo de roupas.
3. Vacinação contra influenza (gripe) e pneumonia.
A disseminação do vírus da gripe e da bactéria pneumococo, responsáveis pelas doenças infecto-contagiosas de maior morbi-mortalidade e incidência em idosos é muito facilitada durante o inverno, geralmente sendo o período em que ocorrem verdadeiras epidemias dessas doenças. A vacina contra Influenza deve der aplicada anualmente. A vacina contra Pneumonia deve ser aplicada em dose única após os 65 anos de idade, sendo que alguns casos necessitam de reforço após 5 anos. Consulte seu médico.  A vacinação é a maneira eficaz e segura de prevenção, preconizada em todo mundo, por criar anticorpos e proteger o idoso desses agentes. 
4. Evitar o uso de ar-condicionado
Esses equipamentos devem ser evitados, pois desidratam o ar, ressecam o muco protetor que reveste as paredes das vias aéreas, destruindo anticorpos e enzimas protetoras que atacam germes invasores. Além disso, são o ambiente perfeito para o crescimento de germes, fungos e bactérias causadores de pneumonia e outras doenças fatais. Evitar o ar-condicionado acaba com a propagação dos germes através desses aparelhos.
5. Estimular o convívio social
A redução de luminosidade, dias chuvosos e nublados, redução da presença do sol, o aumento do isolamento social que pode ser resultado do próprio frio e aumento da incidência de doenças respiratórias já citadas, propicia o desenvolvimento de sintomas depressivos. Deve ser estimulado o convívio social e monitoradas possíveis alterações do humor durante esse período. Mas cuidado, a aglomeração de pessoas é fator de risco para transmissão de doenças infecto-contagiosas. Evite se aproximar de pessoas com sintomas respiratórios, tosse, coriza nasal ou febre.

Por Milena Fischer, diretora geral do Serraville Residencial & Spa Geriátrico. Fisioterapeuta , Mestre em Geriatria e Gerontologia pela PUC/RS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here