Dor crônica, envelhecimento e manutenção da saúde

0
446

A dor crônica não está necessariamente relacionada à idade

Por que tantas pessoas idosas com dor crônica não estão recebendo a ajuda de que precisam?

Muitas pessoas acreditam que, à medida que envelhecem, a dor crônica é inevitável. Elas acreditam que é normal acordar todas as manhãs com dores constantes pelo resto de suas vidas.

Elas se convenceram “de que é assim mesmo…”. Isto não poderia estar mais longe da verdade.

Sim, concordamos que, com o tempo, dores ocasionais podem ser normais, geralmente ocorrendo em articulações como joelhos, quadris e pés que são usados ​​com mais frequência.

O desgaste geral de nossos ossos pode causar uma deterioração lenta à medida que envelhecemos.

Veja também:

Ativador circulatório Fisiomag: tecnologia permite eliminar dores em poucos minutos

Você sente dores? Não se preocupe: 50% dos idosos sentem algum tipo de dor

Ativador muscular e circulatório: uma forma simples e eficaz no alívio de dores e tensões do stress

Mas quando se fala em dor crônica, definida como uma dor constante sentida todos os dias por seis meses ou mais, isso não é normal para pessoas que estão envelhecendo.

Existem muitos fatores que podem afetar o motivo pelo qual você pode sentir dor crônica, nenhum relacionado à idade.

Para gerenciar a dor crônica, você deve primeiro entender o que pode contribuir para ela existir.

Existem gatilhos e fatores de risco que podem aumentar suas chances de sentir dor crônica.

Os gatilhos da dor crônica incluem:

Química: A dor pode ser desencadeada quando as substâncias químicas do cérebro não estão suprimindo adequadamente a percepção da dor.

Psicológico ou psicogênico: Algumas doenças psiquiátricas, traços de personalidade ou problemas emocionais podem aumentar os sentimentos de dor.

Neurogênico: O dano ao sistema nervoso central pode desencadear dor.

Fatores de risco crônicos para dor incluem:

Condições de saúde: Certas condições de saúde, como fibromialgia, artrite, diabetes, depressão ou ansiedade, lesões e cirurgia, podem aumentar o risco de dor crônica.

Escolhas de dieta e estilo de vida: Maus hábitos de dieta e saúde, como beber em excesso, hábitos alimentares pouco saudáveis, falta de sono e falta de exercício físico podem aumentar o risco de dor crônica.

Sistema imunológico: Um sistema imunológico que tem dificuldade em combater doenças pode aumentar seu risco de infecções que podem causar dor crônica.

Estresse emocional: O estresse emocional causado por problemas no trabalho, na família ou no relacionamento pode levar à dor crônica.

Fumar: Fumar pode estimular a dor e reduzir a resposta ao tratamento, não permitindo que seu corpo se cure.

Para ajudar a controlar sua dor, beba muita água, evite alimentos processados ​​que podem causar inflamação e mantenha uma dieta saudável e uma rotina de exercícios. Se você está sentindo dor crônica, entre em contato com um médico especialista.

Traduzido do site PMIR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here